Ações da Itaipu e do PTI em mobilidade elétrica servem como referência para São José dos Campos

Ações da Itaipu e do PTI em mobilidade elétrica servem como referência para São José dos Campos

No Parque Tecnológico Itaipu (PTI), diversos projetos com foco em mobilidade elétrica e sustentável são desenvolvidos, em parceria com a Itaipu e outras instituições. Foi para conhecer de que forma são realizados estes projetos, que o prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida, e os diretores do Parque Tecnológico de São José dos Campos (Pqtec), Marco Antonio Raupp (Geral) e Marcelo Safadi Alvares (Planejamento), visitaram o PTI, na manhã desta terça-feira (12).

Interessados em criar uma infraestrutura de mobilidade elétrica sustentável dentro do Parque e da cidade de São José dos Campos, a comitiva conheceu projetos  desenvolvidos na área. “A mobilidade sustentável é um objetivo de São José, nossa cidade tem história e cultura inovadoras na área energética, com desenvolvimento do etanol, e sabedores do que Itaipu faz aqui com seu Parque viemos estreitar esse relacionamento”, disse o prefeito.

Entre os projetos que despertaram o interesse da comitiva está o de produção de biogás, desenvolvido pelo Centro Internacional de Energias Renováveis–Biogás (CIBiogás). Referência em biometano – biocombustível produzido por meio da transformação de dejetos da produção agropecuária – o Centro conta com um laboratório de biogás, no PTI, e onze unidades de produção de biogás no Brasil.

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) revelam que, nos próximos 10 anos o Brasil será o maior produtor de biogás. “Nessa relação, temos que nos preocupar com seguranças ambiental e energética. O nosso grande desafio é o desenvolvimento sustentável”, explicou Rodrigo Regis de Almeida, diretor presidente do CIBiogás. “Nosso sonho é que tudo seja transportado por meio do biogás”, complementou Jorge Miguel Samek, diretor geral da Itaipu Binacional.

O Parque Tecnológico Itaipu também conta com o projeto de produção de baterias de sódio, utilizadas para mobilidade de grandes veículos, que foi apresentado aos visitantes. Na Itaipu, as baterias são utilizadas para ônibus elétricos. Outro projeto apresentado foi o Programa de Mobilidade Inteligente (Mob-i), que além de carros elétricos, conta com postos para abastecimento e utiliza a plataforma Mobi.me, aplicativo que fornece em tempo real indicadores como o dinheiro poupado em abastecimento, o CO2 que deixou de ser emitido na atmosfera e o número de quilômetros rodados.

Um dos projetos que passou a ser contemplado pelo Mobi.me é o desenvolvido pela empresa incubada Mobhis, que conta com bicicletas com sistema de check-in para utilização no Parque. O projeto foi apresentado à comitiva por Maurício Sena, diretor da empresa, que também desenvolve um projeto de sensores de estacionamento, que apresentará em tempo real, por meio de um painel, o número de vagas disponíveis com o objetivo de economizar tempo e combustível fóssil dos funcionários e visitantes. A empresa, que já atua em Toledo e Passo Fundo com o mesmo projeto, busca ampliar sua atuação para outras regiões do País.

A ideia é que a Itaipu e o município paulista selem intercâmbios futuros por meio de seus parques tecnológicos: o PTI, de Itaipu, e o Pqtec, de São José. “Estive aqui há uns dois anos, ainda como ministro, e estou muito impressionado com a evolução dos projetos e como se tornaram concretos. Os parques tecnológicos daqui e de lá são instrumentos importantes para este elo”, afirmou Raupp, que também foi ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação.

“Aproveitamos essa visita para mostrar aspectos da mobilidade como biogás, desenvolvimento de baterias e armazenamento de energia. A importância é que, depois da visita, eles possam fazer desenvolvimentos que sejam complementares aos nossos, para que possamos estabelecer parcerias”, explicou o diretor técnico da Fundação PTI, Claudio Osako.

FONTE: http://www.pti.org.br/imprensa/noticias/acoes-da-itaipu-pti-em-mobilidade-eletrica-servem-referencia