Assinatura do contrato entre a Mobhis Automação Urbana e FPTI

Assinatura do contrato entre a Mobhis Automação Urbana e FPTI

Na segunda-feira (10), o programa de Desenvolvimento de Negócios realizou a apresentação da nova metodologia da Incubadora Empresarial Santos Dumont. Desenhada para potencializar os negócios da Incubadora, a metodologia redefiniu todo o processo de incubação de empresas, além de incluir ações conjuntas com outras áreas do Parque Tecnológico Itaipu (PTI).

A equipe adotou como foco principal descobrir oportunidades de negócio tanto no ambiente interno quanto no externo. “Apesar do empreendedorismo permear todas as áreas do Parque, a equipe sente que tem grande espaço nessa responsabilidade compartilhada, tendo o trabalho de desenvolver novos negócios olhando essas oportunidades internas e externas e focando a questão da sustentabilidade”, disse Hedryk Daijó, gerente de Desenvolvimento de Negócios.

Juntamente com a área de Desenvolvimento Corporativo, foi discutida a questão da sustentabilidade, buscando a compreensão de que o Programa de Desenvolvimento de Negócios, principalmente por meio da Incubadora, pode ser uma ferramenta fundamental nesse procedimento.

“Foi importante dar um passo atrás e rever toda a metodologia, até porque 70% da força de trabalho da equipe é dirigida à Incubadora. Acredito que ela é a principal ferramenta de desenvolvimento de novos negócios, seja pelos negócios gerados pelos projetos, pelas áreas do Parque ou até de outras empresas do território como um todo”, falou Daijó.

A revisão do processo começou pela pré-incubação, que foi dividida em duas fases. A redução do tempo, que antes era de um ano, para 6 meses mudou todo o perfil de pré-incubação, possibilitando o tratamento não só de empresas mais tradicionais, que era o foco inicial da Incubadora, mas também de startups que tenham perfil de tempo e de necessidade divergente das empresas mais tradicionais.

Os integrantes do programa desenharam uma metodologia que inclui um processo de incubação completo, uma nova metodologia para o condomínio empresarial, viabilização de parcerias estratégicas, criação de ações conjuntas com outras áreas do PTI, um processo de aceleração e credenciamento CATI.

O formato da nova metologia está de acordo com o Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (CERNE) e com o modelo de atuação de Incubadora idealizada pela Anprotec e pelo Sebrae. Terá consolidação em mais ou menos dois anos, a partir do momento que as empresas começarem a gerar faturamento e retorno, tanto para a Incubadora quanto para o Parque.

Assinaturas

Além da nova metodologia, o programa de Desenvolvimento de Negócios, promoveu a assinatura do primeiro contrato de incubação das empresas Akdemy.com, AP Energia, Bioplan, Mobhis Automação Urbana Ltda. e Vivetech Agrociências, e também a assinatura do termo aditivo do contrato de incubação das empresas já incubadas Robusta Engenharia Ltda., AFX Serviços e Soluções em Tecnologia da Informação Ltda., RT Soluções em Tecnologia Ltda., Minter Soluções em Software Ltda., Iguassu GP Gerenciamento de Projetos Ltda.

As empresas consideraram de grande importância todo o processo que enfrentaram na Incubadora. “Mandamos nosso processo para incubação, fomos aprovados e aqui melhoramos nosso projeto. Ficamos muito felizes com o apoio oferecido, que nos ajudou profissionalmente de modo completo”, afirmou Maurício Sena, da Mobhis Automação Urbana Ltda.

Reportagem Sala de impresa do PTI: http://www.pti.org.br/imprensa/noticias/desenvolvimento-negocios-apresenta-nova-metodologia-incubacao-empresas