PTI encerra processo de seleção de negócios com a aprovação de cinco empresas para a incubação

PTI encerra processo de seleção de negócios com a aprovação de cinco empresas para a incubação

A partir de março de 2014, a Incubadora do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) receberá cinco novas empresas, selecionadas a partir de um edital para a criação de novos empreendimentos, lançado em maio deste ano. Para chegar à incubação, essas empresas passaram pela etapa de pré-incubação, que terminou na última terça-feira (10), com a apresentação de plano de negócios para uma banca de avaliação.

A seleção de propostas para a Incubadora contou com 47 empreendimentos inscritos. Desses, 20 foram selecionados para a etapa de qualificação, fase que foi um dos diferenciais desse edital e muito importante para o amadurecimento dos projetos. Das 20 propostas selecionadas inicialmente, oito concluíram essa etapa.

Neste processo, os empresários entenderam mais sobre o foco do mercado, expectativas dos clientes e passaram a direcionar, por meio de metodologias de projeto com design thinking, modelagem de negócios e picht, que tem foco em startups, qual seria o destino do negócio. Essa fase também demonstrou a participação de jovens talentosos, estudiosos e muito empreendedores.

Após a qualificação, uma nova avaliação foi realizada, que resultou na seleção de cinco projetos para a pré-incubação. As empresas escolhidas foram a Akdemy.com, AP Energia, Bioplan, Mobhis Automação Urbana Ltda. e Vivetech Agrociências. Nesta etapa, os participantes se depararam com critérios diferentes, uma nova linguagem e visão de projeto, obtendo confiança e base para cada ideia exposta.

As empresas receberam apoio para a aplicação de ferramentas de planejamento, análise 360º do modelo de negócio para a elaboração do plano de ação e do sumário executivo. O objetivo era dar consistência para as empresa, além de prepará-las para a banca de incubação, realizada na última terça-feira (10).

A banca foi composta por dois avaliadores de empresas de investimentos: Mehanna Mehanna, representante da Toro Investimentos, e Fabio Takabatake, da F2 Investimentos. Eles avaliaram o potencial de cada empresa e se o projeto estava apto para a incubação.

Com a aprovação da banca, as empresas passam para a incubação, fase em que contarão com até três anos de suporte para o desenvolvimento empresarial. A proposta é prepará-las para a graduação, que é quando a empresa já está pronta para o mercado, gerando resultados e contribuindo com o crescimento do território.

Segundo o gerente de Desenvolvimento de Negócios do PTI, Hedryk Daijó, o processo de incubação é “complicado, mas a equipe conseguiu oferecer estrutura bem atual e apoio diferenciado às empresas, assim como um bom suporte na parte de gestão”, afirmou.

Reportagem Sala de impresa do PTI: http://www.pti.org.br/imprensa/noticias/pti-encerra-processo-selecao-negocios-aprovacao-cinco-empresas-para-incubacao